Condomínios reservam espaço para as mulheres

Quando as áreas de lazer de um prédio são planejadas, elas muitas vezes não são pensadas para as mulheres. Um local especialmente desenvolvido para o lazer feminino é algo raro. Os novos condomínios estão surgindo com novos espaços, denominados “Espaço mulher”, com espaços aconchegante para procedimentos estéticos, massagens, manicure e cabeleireiro. É uma inovação e conforto cada vez maior para as mulheres.

Se bem explorado e administrado, esse espaço pode gerar receita para o caixa do condomínio – e as moradoras não precisam sair de casa para ter estes serviços na rua. Para que tudo ocorra bem, o ideal é terceirizar a exploração do espaço para empresas e profissionais do ramo, com contratos bem elaborados, de forma a minimizar riscos e passivos – até mesmo na área trabalhista.

Para a implantação do espaço mulher, é plausível criar uma comissão de moradores para estudar o assunto, aprovar o que foi decidido em uma assembléia geral extraordinária e elaborar um contrato específico bem amarrado, com deveres e direitos como prazos, responsabilidade e obrigações.

É importante contratar empresas e profissionais com formação técnica e exigir o uso de materiais e equipamentos de 1ª linha e evitar a locação do espaço para não dificultar a troca dos prestadores de serviço, se necessário. Os profissionais e os serviços prestados devem passar por avaliação e as questões de higiene, saúde e segurança precisam ser atendidas.

Via: Folha de São Paulo