Dez dicas para cortar gastos em condomínios

Cortar gastos é a ordem do dia em tempos de crise financeira. Nesse caso, a redução de despesas no condomínio pode evitar um aumento excessivo da taxa condominial e permite investimentos que valorizam os imóveis. Mas, é bom ter cuidado para colocar a gestão em risco. Custos com manutenção de elevadores, por exemplo, têm de ser mantidos. Para ajudar os síndicos, listamos 10 medidas que podem ser adotadas:

1 – Portaria Virtual – É a medida que provoca a maior redução de despesas dentro de um condomínio. A redução de gastos pode atingir 60% na folha de pagamento e 30% na taxa condominial. Clique aqui e veja mais informações a respeito.

2 – Iluminação de LED – A lâmpada de LED economiza 90% de energia em relação à tradicional. A troca de todas as lâmpadas tem um custo inicial elevado, mas o investimento é pago com a economia gerada durante os 18 primeiros meses de consumo de energia. A redução na conta de luz de maneira geral pode chegar a 30%.

3 – Temporizador de iluminação – A frente do prédio é o único local que deve permanecer iluminada a noite toda. Nas demais áreas, não há necessidade de todas as lâmpadas ficarem acesas. Após às 22h, o trânsito de pessoas nas áreas comuns cai drasticamente. Nesse caso, o uso de temporizadores é a melhor opção.

4 – Individualização de água – Muitos prédios antigos não possuem a medição de água individualizada, e a conta do uso de cada unidade acaba sendo incluída nas despesas gerais. A individualização do medidor é a solução.

5 – Individualização de gás – Da mesma forma que o consumo de água, também há condomínios mais antigos que não possuem medição de gás individualizada, A individualização do medidor é a solução para a redução de gastos.

6 – Água de reuso e captação de chuva – Uso de água do lençol freático, reuso e captação da chuva. São diversas as possibilidades de economia para o condomínio, e cada vez mais as tecnologias ficam mais acessíveis e baratas.

7 – Energia Solar – O tempo de retorno do investimento é  de 7 anos. Como cada placa tem vida útil de no mínimo 20 anos, há lucro durante 13 anos.

8 – Assessoria Jurídica – A contratação de um serviço de advocacia vai muito além de defender o condomínio de possíveis ações trabalhistas. Ajuizar processos contra moradores inadimplentes também é uma forma de economia. Há , ainda, a possibilidade de revisar contratos com empresas terceirizadas e renegociar com cada uma delas.

9 – Readequação do quadro de funcionários – Em muitos condomínios existe ou um excesso de funcionários ou um planejamento inadequado de escala de serviço, o que resulta no pagamento de horas extras e gastos desnecessários.

10 – Gestão profissional – No passado, era visto como um custo. Hoje o síndico ou gestor profissional compensa financeiramente. A gestão profissionalizada é uma tendência irreversível. Quantos antes for implementada, mais rápido e maior será a economia.

Share Button