Uso de bicicletas cresce 86% em dois anos na principal avenida de Niterói

CiclofaixaO mais recente levantamento do programa Niterói de Bicicleta apontou que o fluxo de ciclistas na Avenida Ernani do Amaral Peixoto – uma das principais vias da cidade – cresceu 86% em dois anos. A partir desses números, na primeira semana de novembro, a Prefeitura implementou uma faixa de travessia exclusiva para quem pedala entre a via e a Praça Arariboia.

A nova faixa dá mais segurança a quem utiliza o trajeto, principalmente, aos que se dirigem ao bicicletário público localizado ao lado da estação das barcas. A orientação é de que os ciclistas atravessem na faixa destinada às bicicletas no momento em que o semáforo estiver fechado para os automóveis, ônibus e motocicletas, e que trafeguem pelo espaço destinados a eles.

A Prefeitura vem registrando aumento no número de bikes nas vias de toda a cidade. Para quantificar o fluxo de ciclos na ciclovia da Amaral Peixoto, o programa Niterói de Bicicleta realiza duas contagens distintas: a manual, realizada mensalmente, verifica o número de ciclistas ao longo do período de duas horas no pico da manhã; já a contagem automática é realizada anualmente.

O levantamento manual apontou que, nos meses de agosto de 2015, 2016 e 2017, foram registrados, respectivamente, em média 112,5, 120,5 e 209 ciclos passando por hora na avenida. Nesse período, a quantidade de bicicletas usando a ciclovia do Centro aumentou cerca de 86%. Em 2017 também foi registrado aumento: de acordo com dados do coletivo Mobilidade Niterói, em março, quando o bicicletário da Praça Arariboia foi inaugurado, eram 160 ciclos por hora. Em cinco meses, foi registrado crescimento de 30% de fluxo na Amaral Peixoto.

A outra contagem automática, realizada anualmente, conta todas as bicicletas que passam em um ponto das ciclovias da via ao longo de um dia. A última estatística, realizada em dezembro de 2016, apontou 1590 bicicletas/dia na avenida.

Outro levantamento, realizado no início de 2017 pelo programa Niterói de Bicicleta, apontou que o número de ciclistas cresceu cerca de 67% em ciclovias da cidade. Segundo o estudo, a maior parte das bicicletas é utilizada como meio de transporte para o trabalho. Os dados apontam que, pela manhã, o pico no número de ciclistas é em direção às barcas e, no final do dia, o fluxo segue no sentido oposto.

Share Button